Afinal, o que é carne esponjosa?

O termo “carne esponjosa” é muito usado pelos pacientes para definir obstrução nasal (“nariz entupido”, “dificuldade para respirar”).

É um termo pouco preciso e pode estar relacionado às diferentes estruturas. Sendo assim, é ideal conhecer algumas delas.

A primeira delas são as conchas nasais ou cornetos nasais, sendo as inferiores, médias e as superiores de cada lado. Para o termo “carne esponjosa” as mais relacionadas são as inferiores que podem ser vistas como uma “bolinha rósea” ao levantar a ponta do nariz. Mas está “bolinha” tem uma extensão para dentro da cavidade nasal, como se fosse um dedo. Elas são responsáveis pelo aquecimento, umidificação e filtração do ar que entra pelo nariz. Elas podem aumentar de tamanho quando inflamadas (nos casos de rinite e sinusite, geralmente) e obstruir a passagem livre de ar pela cavidade nasal. O tratamento para redução das mesmas pode ser clínico com uso de medicações tópicas, associado ou não com medicação por via oral ou cirúrgico. A avaliação, exame físico e seguimento do tratamento inicial é que vão determinar se haverá necessidade de cirurgia ou não.

A segunda estrutura chamada de “carne esponjosa” é a adenoide. Essa estrutura linfoide (tecido que ajuda o organismo a produzir anticorpos e células de defesa) está localizada na parede posterior da nasofaringe, região onde o ar que entra pelo nariz “faz a curva” para chegar aos pulmões, acima do céu da boca. Todo ser humano nasce com adenoide, mas é no terceiro ou quarto anos de vida que ela apresenta seu pico de crescimento e posteriormente regredir e desaparecer na idade adulta. Quando ela cresce em demasia = hipertrofia de adenoide, geralmente por infecções respiratórias de repetição, obstruem a passagem do ar. Entre os sinais e sintomas incluem-se roncos noturnos, voz anasalada, a respiração oral permanente, sensação de ouvidos tampados, roncos e coriza permanente. O tratamento da “carne esponjosa” requer avaliação otorrinolaringológica criteriosa e pode melhorar muito o “nariz entupido”.

Parcerias com empresas da região em consultas e exames