Eu tenho zumbido!

Eis que um dia você começa a perceber um barulho no ouvido. Procura observar se é do meio ambiente e constata que está no seu ouvido! O que fazer?

Primeiro passo é procurar um especialista Otorrinolaringologista!

O zumbido, que é a percepção de um som dentro da orelha ou da cabeça na ausência de estimulação acústica externa, pode ter diferentes características e causas.

A ideia de que o zumbido não tem tratamento nem sempre é verdade. Por isso a necessidade da avaliação do especialista que irá investigar as causas e procurar um tratamento que possa eliminá-lo ou amenizá-lo.

Diferente do que se pensa, o zumbido pode afetar idosos ou crianças e não está apenas relacionado com perda de audição. Estatísticas mostram que 24% população mundial tem zumbido.

Antes de qualquer tratamento é preciso que o paciente acometido pelo zumbido seja esclarecido e tenha pleno entendimento de como e quais consequências que este fenômeno desagradável pode ocasionar. “Não se pode tratar o que não se conhece”!

O paciente que percebe inicialmente o zumbido não deverá ignorá-lo, ou fazer uso de medicações ou seguir orientações caseiras.

O zumbido tem várias causas e o que serve para uma poderá não ser benéfico para outra, não fazer efeito ou piorá-la!

Uma curiosidade: você sabia que Jean Jacques Rousseau, Gaya, Eric Clapton, Barbara Streisand, Thomas Edison, Charles Darwin, Oscar Wilde, Beethoven e Vincent Van Gogh sofreram de zumbido?

Bethoven declarou: ”minhas orelhas assobiam constantemente de dia e de noite. Eu posso dizer que estou vivendo uma vida miserável”.

E especula-se que Van Gogh teria cortado sua orelha por não aguentar mais seu zumbido.

Parcerias com empresas da região em consultas e exames